Made in China: conheça oito invenções chinesas muito usadas hoje

A China tem se tornado hoje um gigante mundial. Com a maior população do mundo, um sistema próprio de escrita e uma economia crescente, esse país vem chamando mais atenção do restante do mundo. Mas algumas invenções dos chineses podem estar mais presentes na sua vida do que imagina.

Embora atualmente dependamos bastante das importações de produtos desses asiáticos, essa dependência é antiga. Itens como papel, garfo e escova de dente tiveram sua origem na China. E essa listaé imensa.

Aquela macarronada do fim de semana também não seria possível sem os chineses. Muito menos aquele sorvete de sobremesa. Se der dor de barriga e você precisar fazer um chá, mais uma vez, precisará de algo com berço na civilização sínica, como são chamados.

Conheça oito coisas e comidas que vieram da China e que você, provavelmente, não sabia:

 

 

1. Macarrão

Macarrão

Embora seja mais fácil encontrar macarrão em restaurantes italianos, foi comprovado que se trata de uma invenção chinesa. Pelo menos, é o que diz a ciência. Em 2005, os um grupo de pesquisadores da Academia de Ciências de Pequim encontrou vestígios do que seria o mais antigo macarrão do mundo, datado de 2500 a.C, num sítio arqueológico chamado de Lajia, no noroeste chinês.

O local abrigava um povoado antigo, que, ao que tudo indica, foi destruído por alguma catástrofe natural. E foi lá que apareceu o macarrão, guardado dentro de uma vasilha, soterrada de cabeça para baixo, que sobreviveu depois de mais de 4,5 mil anos. Só há um único registro por foto, já que, quando entrou em contato com o ar, esse artigo virou pó.

Essa belezura, no entanto, teria chegado ao Ocidente, conforme a versão mais aceita da História, trazida por um aventureiro italiano chamado Marco Polo. Isso teria acontecido no ano de 1295, século XIII, período em que a Itália começa a se especializar nesse item, especialmente na região da Sicília. Hoje em dia, quase todas as 500 variações de massas existentes foram desenvolvidas pelos italianos. Isso que foi apropriação!

 

 

2. Sorvete

Sorvete

Outra invenção chinesa que ganhou o mundo foi o sorvete. Os registros mostram que essa sobremesa teria surgido há cerca de 4 mil anos. No início, no entanto, era algo feito apenas com leite e arroz e congelado naturalmente na neve.

E este era um artigo raro, apenas comum entre os nobres, já que leite era caro e, para fazer durar até o verão, precisavam conservá-los em câmaras frigoríficas debaixo da terra, o que era privilégio de alguns.

Mais uma vez, quem teria sido o responsável por levar esse item à Europa foi Marco Polo. Mas, em 1271, ano em que o aventureiro partiu para a China, não eram mais apenas com base em leite e arroz. Os sorvetes já contavam com variações de cremes de frutas congeladas.

Há ainda indícios de que, paralelamente à criação chinesa, os romanos já haviam inventado algo parecido. No século I d.C., alguns registros mostram o imperador local, Nero, com uma espécie de sorvete, que usava neve e gelo das montanhas do entorno de Roma. Essa mistura contaria ainda com cobertura de frutas.

 

 

3. Chá

Copo do chá com margarida
Embora os ingleses tenham se apropriado do chá de maneira essencialmente cultural, engana-se quem pensa que os britânicos foram os precursores dessa bebida. Na verdade, a história mais propagada sobre essa iguaria aponta que ela foi criada por acaso. E foram os chineses que teriam dado o pontapé inicial.

Um imperador chinês, chamado Sheng Nung, no ano de 2737 a.C., teria parado no caminho enquanto viajava para ferver sua água. Acidentalmente, umas folhas de um arbusto teriam caído dentro do recipiente. Como também era cientista, conhecido como “curandeiro divino”, acabou provando, gostou e começou a expandir o que hoje chamamos de chá.

No entanto, apenas a partir do século VII, por volta do ano de 620 d.C., na dinastia Tang, que o chá virou a bebida símbolo da China. E ela foi sendo introduzida na Europa aos poucos, por meio de viajantes e outras pessoas. Mas foram os portugueses que difundiram o chá como mercadoria entre os países europeus, no século XV.

 

 

4. Bússola

Bússola

Engenhosa e essencial para a ciência moderna, a bússola foi mais um artigo criado pelos chineses. No século I a. C., já há indícios da utilização de propriedades da magnetite como forma de localizar os pontos cardeais.

A cultura chinesa sempre valorizou muito a importância do norte. Chamada de Si Nan, a primeira bússola chinesa se tratava, na verdade, de um prato que simbolizava o planeta Terra. Havia uma colher ao centro, usando magnetite e que indicava o sul.

E os documentos mostram que, desde o ano 850 d.C, já se utilizava a bússola para viagens marítimas. Depois disso, ela começou a ser expandida para outras regiões. Sua utilização maciça pelos europeus, contudo, aconteceu por volta do século XIII.

E o modelo mais moderno da bússola, semelhante ao que conhecemos hoje, começou a ser utilizado desde 1825, depois que William Sturgeon, um inventor britânico, criou o eletromagneto. Atualmente, ainda é imprescindível em viagens de barco ou avião.

 

 

5. Papel

Lápis e papel

O homem sempre usou diversas bases para se comunicar de forma escrita. Primeiro, nas pedras. Depois, 3000 a.C., vieram os papiros egípcios, feitos de uma planta de mesmo nome. Mas, como essa era uma vegetação de clima quente, os europeus tiveram que encontrar uma alternativa. E aí vieram os pergaminhos de couro bovino. Mas o papel, especificamente, veio da China.

Um cortesão do império chinês, chamado de Ts’ai Lun, por volta do ano 105 d.C., descobriu como usar uma mistura de diversas fonte de fibras vegetais para criar a folha de papel. Ele fez uma pasta depois de bater essa massa e conseguiu algo bem fino depois de passar na peneira.

Essa receita, no entanto, foi mantida em segredo pelos chineses até em torno do ano 700 d.C. Depois disso, monges budistas coreanos levaram a fórmula para o Japão. Em 751 d.C., os árabes também capturaram artesãos chineses para conseguir descobrir como fazer o papel. Assim, isso se espalhou para o restante do mundo.

 

 

6. Garfo

garfo de aço inoxidável

Os orientais são conhecidos por usarem os hashis, ou pauzinhos, para comer. Mas o que poucos sabem é que os primeiros garfos registrados vieram da China. Eles eram feitos de ossos e foram descobertos vestígios deles desde a dinastia Xia, por volta de 2400 a.C.

Para os chineses, no entanto, o garfo era um talher para os nobres, já que a maioria estava bem adaptada a comer de pauzinho. Culturalmente, esse utensílio acabou não sendo tão usado.

No entanto, existem trechos da bíblia judaica, do ano 600 a.C., que indicam a presença de um objeto parecido. Mas, por motivos religiosos, o garfo só começou a ser usado no Ocidente depois do XI, já que, em grande parte da Europa, era comum comer com as mãos naquela época.

 

 

7. Escova de dentes

Escova de dente

A higiene bucal sempre fez parte de diversas civilizações antigas. Na Babilônia, 3500 a.C., existia uma vara de mascar, que era usada para limpar os dentes. Há registros de que gregos, egípcios e romanos também faziam isso de outras formas, com espécies de palitos de dente ou mastigando a madeira até que desse para esfregar a região.

Mas a escova de dente num formato parecido com o atual foi outra invenção de dentistas chineses. De acordo com uma enciclopédia do país asiático, datada de 1498, esse primeiro artigo era formado por pelos curtos de javali siberiano. E isso ficava preso em um cabo de ossos de animais.

E os europeus importaram esse modelo diretamente da China, embora tenham feito alterações. Como não era fácil achar javalis, passaram a usar crina de cavalo ou cerda de porco. E a adaptação europeia acabou sendo mais bem-sucedida, já que esses pelos eram mais maleáveis que os do javali.

 

 

8. Papel Higiênico

Papel higiênico

Outro item de higiene que os chineses criaram foi o papel higiênico. No ano de 589 a.C., um erudito e oficial do governo chamado Yan Zhitui criou essa opção para que as pessoas não usassem textos filosóficos como forma de limpar o bumbum.

Como mencionado, nesse tempo, a fórmula do papel ainda era guardada a sete chaves na China. No restante do mundo, muitas civilizações usavam apenas água, as próprias mãos, varas de madeiras ou rendas para a higiene dessa parte íntima.

Foi apenas em 851 d.C. que um viajante árabe exportou a ideia chinesa. E foi na China mesmo, no ano de 1393, que surgiram os primeiros papéis higiênicos perfumados. Eles foram feitos especialmente para a família real.

Essas foram apenas algumas das criações ou descobertas chinesas. Por ser uma das civilizações mais antigas do mundo, esse povo asiático foi pioneiro em diversos aspectos. E os documentos comprovam a maioria desses fatos. Outros, como as histórias de Marco Polo, por exemplo, ainda podem ser consideradas lendas.

 

 

Fontes

http://super.abril.com.br/conheca-25-grandes-invencoes-chinesas

http://www.toptenz.net/top-10-things-china-did-first.php

http://www.infoescola.com/curiosidades/historia-do-cha/

http://www.resumoescolar.com.br/geografia/a-origem-da-bussola/

http://origemdascoisas.com/a-origem-do-sorvete/

Artigos Relacionados

Ilustrações de personagens (Tiradentes, César, Napoleão e Cabral): Copyright © 2015 História Fácil (http://www.historiafacil.com.br). Todos os direitos reservados. Vide termos de utilização deste site (clique aqui).

Autor: Ariane Rodrigues Annunciação

Jornalista graduada (2011) com Licenciatura em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) (2016). Seis anos de experiência com redação de textos jornalísticos para revistas, jornais, blogs e sites, especialmente de assuntos como política, educação, esporte e cultura oriental.

Copartilhe Este Artigo No