Resumo

Estado Islâmico



Resumo somente em texto


Contexto

  • Guerra do Iraque
  • Ocupação norte-americana do território iraquiano desde 2003
  • Surgimento da Al Qaeda
  • Morte do principal líder da Al Qaeda em 2006

Ressurgimento

  • Junção, em 2014, de grupos desmembrados da Al Qaeda, do Conselho Shura Mujahideen e do Estado Islâmico do Iraque
  • Dominação de territórios no Iraque e na Síria em 2014, criação de califado na região
  • Desejo de expansão e conquista de territórios
  • Vácuo de segurança causado pela saída das tropas dos EUA da região

Ação do Estado Islâmico

  • Organização total e sistemática nos territórios conquistados
  • Cobrança de impostos, venda ilegal de petróleo e pedidos de resgates de reféns: renda de 2 milhões de dólares por dia
  • Divulgação de vídeos com execuções de reféns
  • Defesa das características mais conservadoras da religião muçulmana
  • Machismo extremo
  • Destruição de monumentos e cidades históricas, alegando que são exemplos de adoração a objetos
  • Convocação de jovens pobres e sem perspectiva através de redes sociais

Atuação internacional

  • Estado Islâmico assume autoria de diversos atentados na França
  • A França é um país com 7,5% da população muçulmana, em geral segregada e com poucas oportunidades
  • Estados Unidos têm o objetivo de conter o Estado Islâmico, mas a situação da guerra civil na Síria complica qualquer plano de ação

Auge

  • Junção, em 2014, de grupos desmembrados da Al Qaeda, do Conselho Shura Mujahideen e do Estado Islâmico do Iraque
  • Dominação de territórios no Iraque e na Síria em 2014, criação de califado na região
  • Divulgação de vídeos com execuções de reféns
  • Defesa das características mais conservadoras da religião muçulmana
  • Convocação de jovens pobres e sem perspectiva através de redes sociais
  • Estado Islâmico assume autoria de diversos atentados na França
  • A França é um país com 7,5% da população muçulmana, em geral segregada e com poucas oportunidades
  • Estados Unidos tinha o objetivo de conter o Estado Islâmico, mas a situação da guerra civil na Síria complicava qualquer plano de ação

Declínio do Estado Islâmico

  • Em dezembro de 2017, após uma série de ofensivas bem sucedidas nas regiões oeste e norte do Iraque, o governo local afirmou que o Estado Islâmico havia sido "expulso" do país, embora ações em forma de guerrilha permanecessem em alguns locais.
  • A informação foi saudada na região e no mundo como uma importante vitória contra o terrorismo global. Enquanto isso, na Síria o EIIL continuava a ser empurrado de volta para a fronteira iraquiana, no leste, sofrendo pesadas baixas e deserções, perdendo uma cidade após a outra. Órgãos de inteligência ocidentais, contudo, argumentaram que, apesar de muito enfraquecido, o Estado Islâmico ainda conserva algum poder no Oriente Médio, e ainda pode atiçar "lobos solitários" a realizar atentados pelo mundo. (Fonte: Wikipedia)

Autor: Letícia Magalhães Pereira

Letícia Magalhães é historiadora e pós-graduada na área de Comunicação e Marketing em Mídias Digitais. Trabalha com crítica cinematográfica e como freelancer.

Copartilhe Este Artigo No