Resumo

A revolta da vacina



Resumo somente em texto


Contexto

  • Governo do presidente Rodrigues Alves (1902-1906)
  • Obra prioritária de sua gestão: embelezamento e saneamento do Rio de Janeiro, então capital do país, trabalhando em conjunto com o prefeito Pereira Passos
  • Desejo de erradicar diversas doenças que causavam epidemias e ameaçavam a saúde pública, entre elas a febre amarela, varíola, disenteria e peste bubônica
  • 1903: unificação dos órgãos sanitários, criação da Diretoria Geral de Saúde Pública, comandada por Oswaldo Cruz
  • 1904: vacinação contra varíola torna-se obrigatória

Reação positivista

  • “A vacinação obrigatória teria contra ela a ciência e a moralidade positivista” (Cruz Costa)
  • Vacinação obrigatória, segundo os positivistas, ia contra “o pudor feminino, a inocência das crianças e a fragilidade dos idosos”
  • Dúvidas sobre a eficácia da vacina
  • Contra a vacinação obrigatória

O povo descontente

  • Para embelezar e higienizar o Rio de Janeiro (a chamada Reforma Urbana), os cortiços e as casas mais simples foram destruídos: milhares de pessoas ficaram sem moradia
  • Crise comercial de 1904: muitos comerciantes vão à falência
  • Descontentamento crescente entre as classes populares

A reação popular

  • Reação violenta contra os agentes de saúde que aplicavam a vacina
  • Depredação de prédios, lojas e bondes
  • Estimadas 30 mortes

Sufocando a revolta

  • Governo suspende a vacinação obrigatória
  • Decretado estado de sítio na cidade do Rio de Janeiro
  • Tentativa de derrubar Rodrigues Alves em 15 de novembro
  • Reação em 16 de novembro
  • Centenas de pessoas foram presas e mandadas para o Acre
  • Retomada da campanha de vacinação e erradicação da varíola

Conclusão

  • Tentativa de modernizar e higienizar o Rio de Janeiro
  • Derrubada de cortiços e vacinação obrigatória
  • Povo descontente com a perda de moradias, de empregos e sem entender a necessidade da vacinação
  • Levante violento na cidade, tentativa de derrubar o presidente
  • Revolta é sufocada, 30 mortos, presos enviados para o Acre
  • Volta da campanha de vacinação e erradicação da varíola

Autor: Letícia Magalhães Pereira

Letícia Magalhães é historiadora e pós-graduada na área de Comunicação e Marketing em Mídias Digitais. Trabalha com crítica cinematográfica e como freelancer.

Copartilhe Este Artigo No